quinta-feira, 24 de novembro de 2011

As máscaras do destino

" A sua sombra debruçou-se sobre o meu ombro, no silêncio das tardes e das noites, quando a minha cabeça se inclinava sobre o que escrevia; com a claridade dos seus olhos límpidos como nascentes de montanha, seguiu o esvoaçar da pena sobre o papel branco; com o seu sorriso um pouco doloroso, um pouco distraído, um pouco infantil, sublinhou a emoção da ideia, o ritmo da frase, a profundeza do pensamento."
                                     Florbela Espanca
                                  

Um comentário:

  1. Já amei só por citar a Florbela D'Alma (amo)

    Beijos, sigo aqui =.)

    ResponderExcluir